Kacey Musgraves e Childish Gambino São Os Grandes Vencedores da 61ª edição do Grammy

A cantora Kacey Musgraves e Childish Gambino, projeto musical do ator da série Atlanta Donald Glover, são os grandes vencedores da cerimonia que rolou no último domingo dia 10/02 com 4 prêmios cada. Kacey foi a grande premiada da noite levando na categoria principal de álbum do ano com seu aclamado Golden Hour.

Lady Gaga, Dua Lipa , Cardi B e a trilha sonora de Pantera Negra também saíram com seus gramafones na mão.

A cerimonia contou com homenagens a Aretha Franklin e Dolly Parton que subiu ao palco com Kacey, Katy Perry e Miley Cyrus para um medley de seus maiores sucessos.

Na categoria Rock, Chris Cornell e Gretta Van Fleet levaram os principais prêmios. No campo do Rap e Hip Hop vitorias de Drake e Kendrick Lamar.

Post Malone e Camila Cabello foram os que saíram de mãos abanando.

 

Confira os vencedores das principais categorias;

Álbum do ano: “Golden hour” – Kacey Musgraves

Gravação do ano: “This is America” – Childish Gambino

Melhor canção: “This is America” – Childish Gambino

Melhor artista novo: Dua Lipa

Melhor performance pop de duo ou grupo: Lady Gaga e Bradley Cooper – “Shallow”

Melhor Performance Solo de Pop: “Joanne (Where do you think you’re goin’?)” – Lady Gaga

Melhor Álbum Pop Vocal: “Sweetener” – Ariana Grande

Melhor disco de country: “Golden hour” – Kacey Musgraves

Melhor performance country solo: “Butterflies” — Kacey Musgraves

Melhor música country: “Space cowboy” – Kacey Musgraves

Melhor música de rap: “God’s plan” – Drake

Melhor performance rap/falada: “This is America” – Childish Gambino

Melhor disco de rap: “Invasion of privacy” – Cardi B

Melhor Performance de Rap: “King’s dead” – Kendrick Lamar, Jay Rock, Future e James Blake; “Bubblin” – Anderson Paak

Melhor disco de r&b: “Her” – H.E.R.

Melhor Álbum de Música Alternativa: “Colors” – Beck

Melhor Engenharia de Som de Álbum Não-Clássico: “Colors” – Beck

Melhor Clipe: “This is America” – Childish Gambino

Melhor Compilação de Trilha Sonora para Mídia Visual: “The greatest showman” – “O rei do show”

Melhor Trilha Sonora para Mídia Visual: “Pantera Negra” – Ludwig Goransson (compositor)

Melhor Canção Composta para Mídia Visual: “Shallow” – Lady Gaga, Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt

Melhor Gravação Dance: “Electricity” – SilkCity e Dua Lipa (com participação de Diplo)

Melhor Performance de Rock: “When bad does good” – Chris Cornell (prêmio póstumo)

Melhor Álbum de Rock: “From the fires” – Greta Van Fleet

Melhor Canção de Rock: “Masseduction” – St. Vincent (compositores: Jack Antonoff e Annie Clark)

Ler mais

Original Sound Track – Black Panther The Album Music From And Inspired By; Kendrick Lamar, Arrebatador para Dizer o Mínimo

Os álbuns que carregam o peso de serem trilha sonora, muitas vezes não fazem mais que escorrer musicalmente a trama da tela prateada. Não é esse o caso de Black Panther The Álbum Music From And Inspired By, produção luxuosa de Kendrick Lamar para o novo filme da Marvel, Black Panther. Sentimos a inspiração do universo de pantera negra, conseguimos vislumbrar em algumas faixas Wakanda, o país africano fictício do longa, claramente em nossa mente, porém se tratando de uma obra que visa representar um filme de herói/aventura/ação, dá para descolar as faixas e dar a elas um sentido a parte ao do filme e é isso que faz algumas trilhas sensacionais, The Body Guard é uma delas.

Kendrick começa o disco com a faixa que dá nome a obra Black Panther, com um twist muito interessante, que inicialmente constrói a tensão para depois nos deliciar com uma instrumentalidade industrial mixada com elementos da música africana subsaariana, é de encher os ouvidos.

A pop All The Stars, parceria com SZA, dá segmento com certa dignidade a peça, porém é uma faixa para dar um certo tom consumível ao trabalho como um todo, apesar de ambos estarem maravilhosos, a faixa cumpre apenas o seu papel. A seguir temos uma sequência sensacional de três produções estonteantes; X de ScHoolboy Q, 2 Chainz e Saudi, The Ways de Khalid e Swae Lee e culminando com a maravilhosa Opps de Vince Staples e Yugen Blakrok. Arrebatadoras para dizer o mínimo.

O clima da uma suavizada com a estonteante I am de Jorja Smith, vocais deslumbrantes e uma produção impecável, a moça desfila pelos 3:28 de duração da faixa.

Zacari traz em Redemption, parceria com Babes Wodumo, um arranjo eletrônico que emula os tambores tribais, isso mais a energia do piano cabaresco que traz sofisticação à faixa, nos deixa nada menos que rendidos, parabéns ao Kendrick pela produção magnifica.

Seasons é uma faixa boa parte cantada em um idioma nativo do continente africano, que evoca beleza e autenticidade, é de arrepiar, a faixa é trabalho de Mozzy, Sjava e Reason.

O disco termina com Pray for Me de Kendrick Lamar com The Weekend e é impressionante a capacidade que o The Weekend tem de tomar qualquer música como sua e dar a ela seu toque único. Ótima forma de fechar um álbum sensacional.

Kendrick Lamar conduz Black Panther como um competente maestro, do início ao fim, seja a frente das faixas, seja no background como produtor e idealizador.

Com certeza forte candidato a um dos melhores discos do ano, a amiga de Kendrick, Taylor, que se cuide no Grammy 2019, visto que a premiação ama trilhas sonoras, o que seria merecidíssimo.

Se você já viu o longa, certeza de ter saído com essa trilha na cabeça. Confira aqui.

Nota 9/10

Para ouvir;

X (ScHoolboy Q feat 2 Chainz and Saudi)

The Ways (Khalid feat. Swae Lee)

Opps (Vince Staples feat. Yugen Blakrok)

I Am (Jorja Smith)

Redemption (Zacari feat. Babes Wodumo)

Pray For Me (The Weekend feat. Kendrick Lamar)

 

Ler mais
%d blogueiros gostam disto: