O que eu achei do terror nacional “M-8 – Quando a Morte Socorre a Vida

Com estreia marcada para 03/12, M8 – Quando a Morte Socorre a Vida, é um dos melhores filmes de 2020 e eu vou te dizer o porquê.

Em um Rio de Janeiro onde jovens estão desaparecendo, Maurício tenta encontrar o seu lugar na faculdade sendo o único aluno negro. Apesar de a primeira vista um corpo voltando a vida seja assustador, o verdadeiro horror no longa de Jeferson De é o preconceito.

Desde a já famosa abordagem policial abrupta ao esforço exagerado em deixar o racismo velado em forma de inveja ou preocupação, é de se observar a divisão de paleta nos cargos de maiores status, assim como em “Parasita” os donos da mansão não olhavam para baixo.

Em M-8 tem terreiro, tem Marielle e XIS. Tem um Rio esquecido, tem 2020 e os outros 2019 anos jogados na nossa cara.

_________

🔸Sinopse: dirigido pelo cineasta Jeferson De (do premiado “Bróder”), é baseado no livro homônimo de Salomão Polakiewicz e conta a história de Maurício (Juan Paiva), um calouro da prestigiada Universidade Federal de Medicina, filho de Cida (Mariana Nunes), uma auxiliar de enfermagem, que dá duro para ver seu filho entrar pra faculdade . Em sua primeira aula de anatomia, Maurício é apresentado a M-8 (Raphael Logam), corpo que servirá para estudo dele e dos amigos durante o primeiro semestre. Em uma jornada permeada de mistério e realidade, Maurício enfrenta suas próprias angústias para desvendar a identidade desse rosto desconhecido.

Naíra Flores

Naíra Flores é publicitária, jornalista e gostaria de ter a vida dirigida por John Hughes. Anota todos os filmes que vê, tá com o TV Time todo atrasado, viciada em true crime e adora música ruim. Troy and Abed in the moooooorning. Segue lá no TV Time: Naíra Flores / Instagram @Nairaflorex

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: