Crítica | A 2ª Temporada de She’s Gotta Have It é perfeita e você ainda não viu

https://www.pastilhadrops.com.br/2019/06/03/critica-a-2a-temporada-de-shes-gotta-have-it-e-perfeita-e-voce-ainda-nao-viu/

Nola Darling, essa querida.

Baseada no filme escrito e dirigido por Spike Lee, a série She’s Gotta Have It‘ (Ela Quer Tudo) estreou na Netfix em 2017. A produção, tem como foco Nola Darling (Dewanda Wise), um mulherão da porra. Negra, artista, ativista, sem medo de ser ousada e defender suas ideias e ou justificar quem deita em sua cama. Resumindo, não tem medo de ser ela mesma.

Após se dividir entre 3 rapazes (nada em segredo), Nola retorna em 2019 apaixonada por Opal, que conhecemos no finzinho na primeira temporada. A relação oscila em uma dinâmica de poder, seja sexual e de autoridade. Nola, uma adulta com picos imaturidade e Opal, a dona da verdade exagerada, control freak e apaixonada por sua filha.

A evolução de Mars (Anthony Ramos) é algo extraordinário. Do trio de exs, foi o que mais evoluiu. Sério, vontade de colocar no bolso. Já Clorinda, com sua inveja nem tão velada assim, joga os sentimentos mais obscuros bem na nossa cara, sem dó. Às vezes fica difícil de disfarçar, não é mesmo?

Além das paixões, a série é uma carta de amor à comunidade negra. Não só pelo fato do elenco ser quase 80% negro, 15% latino e 5% branco. Desde o racismo, apropriação cultural, feminismo, música, arte e religião, Ela Quer Tudo faz você enxergar a sociedade com vários olhares ou forçação de barra por uns. Você é espectador, vítima, jurado e juiz. Nem sempre vamos concordar com as falas dos personagens. Muitas vezes vamos nos identificar. E isso é desesperador e libertador.

A trilha sonora, vai desde Sergio Mendes, Tom Jobim à Prince. E o episódio
#SuperFunkyCaliFragiSexy em homenagem ao cantor além de lindo, chega a ser poético. Assim como o encontro de Nola com o Candomblé em uma viagem reveladora. Esse momento em especial, foi algo que nunca antes eu havia presenciado na televisão ou no cinema. Uma verdadeira obra de arte. Assistam PORRA!

She’s Gotta Have It não é muito falada por aqui, sofrendo do mesmo mal que a familiar Dear White People. Em tempos em que a representatividade é tão discutida, uma série, feita e estrelada por negros e assinada por Spike Lee, ficou escondida. Mea culpa da própria Netflix, que parece sofrer de corte de verbas quando o assunto é divulgar tais produções. Será que a nudez negra incomoda mais? O tapa na cara característico de Lee não cai muito bem em tempos de MAGA ou #EleNão? Produções em que sua maioria é negra e não faz parte do mainstream, mesmo pela gigante do streaming, ainda ficam no limbo.

É muito fácil elogiar o Oscar de Infiltrado na Klan e só ter assistido Nasce Uma Estrela ou Bohemian Rhapsody nos cinemas. Talvez Green Book, olha a mea culpa aí de novo.

A primeira e a segunda temporada de She’s Gotta Have It estão disponíveis na Netflix. Assista sem medo, vá além da cortina.

Naíra Flores

Naíra Flores é formada em Publicidade e gostaria de ter a vida dirigida por John Hughes. Anota todos os filmes que vê, assiste séries demais e adora música ruim. Seinfeld > Friends > Will & Grace > HIMYM. Segue lá no TV Time: Naíra Flores / Instagram @Nairaflorex

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: