Crítica | Humor e morte na nova série da Netflix, Boneca Russa

https://www.pastilhadrops.com.br/2019/02/05/critica-humor-e-morte-na-nova-serie-da-netflix-boneca-russa/

Lançada globalmente pela Netflix na última sexta (1), Boneca Russa veio para nos testar. A série, produzida e protagonizada por Nichols Natasha Lyonne foi uma grande surpresa em meio a exurrada de conteúdo originais – nem todos bons – que a gigante do streaming lançou nos últimos meses.

Com apenas 8 episódios rápidos, a série traz Nadia (Natasha), uma mulher com seus 30 e poucos beberrona, chaminé e usuária de drogas. Seus amigos parecem ter saído da já finada série da HBO, Girls. Em sua noite de aniversário, após circunstâncias bem loucas, Nadia morre. O que ela não contava, era que a noite da sua morte seria mais longa do que imaginava. Acontece que ela ressuscita várias, várias, várias vezes, sempre na mesma noite. Até entender o que está rolando e acabar com esse ciclo sem fim no purgatório, a personagem vai contar com apoios inesperados, reviver o passado e enxergar como os seus erros culminaram no momento fatídico.

 

 

A única diferença entre Nadia de Boneca Russa e a Nichols de Orange is the New Black é sua opção sexual. De resto, a personagem é mesma. Quer dizer, a mesma desde American Pie…

Palmas para as participações das atrizes Elizabeth Ashley, Chloë Sevigny e da comediante Amy Poehler que também assina a produção.

Com toques de humor, ficção e drama, Boneca Russa vai de Black Mirror a The Good Place com o sarcasmo que só Natasha Lyonne consegue em tela. Pode (e deve) ser considerada uma grandes estreias de 2019.

Naíra Flores

Naíra Flores é formada em Publicidade e gostaria de ter a vida dirigida por John Hughes. Anota todos os filmes que vê, assiste séries demais e adora música ruim. Seinfeld > Friends > Will & Grace > HIMYM. Segue lá no TV Time: Naíra Flores / Instagram @Nairaflorex

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: