CCXP 2016 | Confira a nossa entrevista com Felipe Cagno

https://www.pastilhadrops.com.br/2016/06/15/ccxp-2016-confira-a-nossa-entrevista-com-felipe-cagno/
Foto: Felipe Cagno
Felipe Cagno

A Comic Con Experience, que é considerada a terceira maior Comic Con do mundo ficando atrás somente de San Diego e New York, está chegando em sua terceira edição. O evento geek mais épico da América Latina desembarca novamente em dezembro na capital paulista com grandes nomes da cultura pop mundial.

No espaço Artist’s Alley ou “Beco dos Artistas” no português básico, está o coração da CCXP. São 265 mesas com mais de 300 artistas brasileiros e estrangeiros, reunidos para apresentar os seus incríveis trabalhos.

Nós do Pastilha Drops vamos bater um papo com Felipe Cagno, quadrinista já confirmado na edição 2016 da CCXP.

Um pouco sobre Felipe Cagno:

Cagno é cineasta e quadrinista. Formado em cinema e com mestrado em Los Angeles, começou a carreira com o desenvolvimento de roteiros, seguindo os passos do pai. Logo começou a trabalhar na divulgação do ‘321 Fast Comic’. Poucos sabem que o projeto surgiu no cinema, durante seu mestrado nos Estados Unidos. E daí por diante, continuou com suas criações no mundo dos quadrinhos.

HQ Cover 321

* 321: Fast Comics: livro de quadrinhos com curtas histórias no formato”3-2-1” onde é necessário todas teres três páginas, dois personagens principais e um final bombástico.

Agora, Cagno vai nos contar um pouco sobre suas experiências na CCXP anteriores, expectativas para esse ano, suas novas HQ’s, etc.

Pastilha Drops – Como foi a experiência em participar da Comic Con Experience?

Felipe Cagno Incrível, absolutamente sem parâmetro no Brasil. Quando nós quadrinistas entramos pela primeira vez naquele pavilhão enorme e vimos a primeira CCXP montada, era difícil de acreditar que algo desse porta havia sido organizado por aqui. 

E o mesmo “choque” aconteceu novamente ano passado quando o pessoal da organização conseguiu se superar e aumentou ainda mais o espaço e evento. Mais legal ainda é ver que o fã brasileiro estava doido por uma convenção assim, você vê filas enormes, cosplays incríveis e muita, muita gente mesmo passeando pelo Beco dos Artistas e comprando nossos quadrinhos aos montes. Nunca conheci nenhum quadrinista que participou da CCXP e saiu reclamando que o evento foi fraco.

Pastilha Drops – Qual material levou em sua primeira participação no evento?

Felipe Cagno – No primeiro ano eu levei a série em volume único “Lost Kids: Buscando Samarkand” e o lançamento daquela edição da CCXP, o primeiro volume da série “321: Fast Comics”. O Lost Kids já se esgotou…

Os meus trabalhos antigos podem ser adquiridos no site da editora: http://www.loja-timberwolf.com.br

Pastilha Drops – Quais são as suas expectativas para a CCXP esse ano?

Felipe Cagno – Enormes! Se nos dois primeiros anos o evento realmente foi épico como dizem as hashtags deles, este ano esperamos que seja ainda maior e melhor. É impressionante que eles novamente conseguiram crescer tanto em tamanho e público. A CCXP já se tornou o principal evento para lançamentos em quadrinhos.

Eu mesmo vou lançar quatro títulos este ano por lá!

Pastilha Drops – Há algum trabalho novo? Se sim, nos fale um pouco dele?

Felipe Cagno – Além da série “Few and Cursed” que na CCXP terá mais duas edições sendo lançadas, ainda tenho a inédit “Classified” com os mestres Marcelo Costa e Marcelo Maiolo e lançamento da primeira edição de seis já programada. 

Vou levar também mais duas graphic novels, “Escolhas” em nova parceria com Gustavo Borges e o projeto que foi contemplado no ProAc de Quadrinhos do ano passado, o “Bom Demais – Uma Sincera História de Ficção vs Realidade”, com o Bruno Oliveira e o colorista da DC Comics Ivan Nunes.

Mal posso esperar pela CCXP, será épico mesmo lançar tantos trabalhos novos num evento só.

Pastilha Drops – Alguns de seus trabalhos estão disponíveis na Social Comics. O que você acha dessa nova forma de plataforma para o universo das ha’s?

Felipe Cagno – Acho que toda e qualquer forma de atrair novos leitores e apresentar quadrinhos nacionais é válida, e o trabalho que o pessoal do Social Comics vem fazendo é excepcional. Eles criaram uma plataforma online com seriedade que trata os leitores tão bem quanto os autores e ainda vão além, buscando sempre iniciativas para promover o quadrinho autoral.

Eu visto a camisa do Social Comics com orgulho.

Pastilha Drops – O que é ser um quadrinista no Brasil?

Felipe Cagno – É estar na vanguarda de um mercado novo e que promete muito.Fazer quadrinhos hoje está cada vez mais deixando de ser um hobby para se tornar uma profissão. Ainda são poucos que conseguem tirar 100% do sustento das HQs, mas isso vai mudar rapidamente como já vem acontecendo.

Não existe momento melhor para ser quadrinista no Brasil do que agora e além da oportunidade de entreter milhares de leitores ainda fazemos parte de uma comunidade bastante unidade de excelentes profissionais.

 HQ’s de Felipe Cagno:

Cover_321-2

 

Arte/Variant RodReis

LK_Print_001

Variant_Santolouco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para adquirir ingressos e saber mais sobre a Comic Con Experience, acesse o site www.ccxp.com.br.

JessicaMoura

Jornalista, Fotógrafa, Chef de Cozinha e apaixonada pela cultura pop!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: